domingo, 15 de julho de 2012

Os livros mais vendidos da semana pela FNAC




O PRISIONEIRO DO CÉU - Carlos Ruiz Zafon: Barcelona, 1957. Daniel Sempere e seu amigo Fermín, os heróis de A sombra do vento, estão de volta à aventura para enfrentar o maior desafio de suas vidas. Já se passa um ano do casamento de Daniel e Bea. Eles agora têm um filho, Julián, e vivem com o pai de Daniel em um apartamento em cima da livraria Sempere e Filhos. Fermín ainda trabalha com eles e está ocupado com os preparativos para seu casamento com Bernarda no ano-novo. No entanto, algo parece incomodá-lo profundamente. (Continue Lendo)






MORTE DOS REIS - Bernard Cornwell: No sexto livro da série Crônicas Saxonicas, Cornwell dá comunidade à saga de Uhtred e do reino de Wessex. Após ao longo período de debilidade, o poderoso rei Alfredo esta morto.













BONSAI - Alejandro Zambra: Bonsai é a história de um amor, o de Julio e Emilia, e é a história do fim deste amor. É também uma história sobre a consciência do fim. E não apenas para Emilia e Julio, “jovens tristes que leem romances juntos, que acordam com livros perdidos entre as cobertas”, mas para nós, leitores, que na primeira linha desta história falsamente simples recebemos a notícia: “No final ela morre e ele fica sozinho”. (Continue Lendo)








SERENA - Ian Mcewan: Ao ser contratada pelo MI5, o Serviço Secreto Britânico, a protagonista Serena se vê como participante de uma mentira cujo objetivo é fomentar a criação de uma ficção. Isso porque ela é incumbida de estabelecer contato com um escritor a quem não pode contar que é uma espiã, nem que o dinheiro que ele passará a receber virá do Estado. Mas o contexto de toda essa armação é uma guerra muito real, num período bastante violento da história da Inglaterra, especialmente por causa da atividade do IRÃ. (Continue Lendo)


Eu particularmente achei bastante atrativa a sinopse de Serena, de Ian Mcewan. Trata-se de uma ficção que se aventura pelos caminhos históricos baseados nesse importante momento de tensão na Inglaterra. 
Prisioneiro do Céu, do premiado Carlos Ruiz Zafon, nos garante uma belíssima capa. Tá certo que "quem vê capa não vê conteúdo", mas se o enredo for tão bom quanto a capa, é garantido que ainda o terei na minha estante.

Nenhum comentário:

Postar um comentário