segunda-feira, 14 de novembro de 2016

5 coisas aparentemente inofensivas que matam mais que tubarão


Uma das maiores preocupações de surfistas e banhistas que aproveitam as férias no litoral é o perigoso e mortal ataque de tubarão. Mas, depois de ver essa lista, você vai deixar o peixão em paz e vai se preocupar com perigos mais silenciosos presentes no seu dia a dia. 

No Brasil, é o litoral de Recife que mais sofre com os ataques de tubarão todos os anos. A maior concentração de ataques acontece em julho e janeiro - período em que as praias estão mais lotadas por conta das férias. Apesar de no ano passado o Brasil ter registrado apenas uma morte por conta de tubarões, o número de ataques vem crescendo no mundo todo. Para você ter uma ideia, só em 2015 foram 98 ataques - desses, seis com vítimas fatais. A explicação para o aumento dos ataques se dá por duas vertentes: a primeira é climática, podendo ser reflexo dos efeitos do El Nino. A segunda explicação é populacional, já que com o aumento de pessoas nas praias, a tendência é que se aumente também o número de ataques. 

Mas, antes que você deixe de frequentar as praias com medo de ser a próxima vítima, veja abaixo a lista com cinco coisas que consideramos aparentemente inofensivas em nosso dia a dia, mas que matam muito mais pessoas do que os tubarões.

5. Pingentes de gelo 


Os pingentes de gelo, essas estacas pontudas formadas pela água que escorre do telhado, foram responsáveis pela morte de 100 pessoas em 2015, somente na Rússia. Dependendo da altura, a queda de um desses pingentes pode ser fatal - atingindo a vítima como a força de uma lâmina. 


 4. Quedas em banheiras


Um simples tombo em uma banheira escorregadia pode causar traumas irreparáveis para o cérebro e provocar até mesmo a morte. De acordo com as estatísticas, só no ano passado, 340 americanos morreram por conta de quedas enquanto tomavam banho. 

3. Cair da cama


Uma outra queda que resulta em mortes mais frequentes que ataques de tubarão é a queda da cama. Afinal, quem nunca caiu da cama enquanto dormia? A questão é: dependendo de como você cai (ou onde você cai), o impacto pode ser muito perigoso para o corpo relaxado. Uma média de 450 pessoas perdem a vida todos os anos por conta disso. Geralmente as vítimas são crianças ou idosos. 

2. A Black Friday 


Pode parecer brincadeira, mas não é: todos os anos, cerca de 550 pessoas morrem por conta das promoções da Black Friday. Esse número absurdo se dá de diversas maneiras, como pessoas tendo complicações de saúde enquanto aguardam dias nas filas ou por conta de empurrões quando as portas se abrem. Deste número, são os chineses os que mais sofrem baixas por conta da Black Friday. Parece que por lá as promoções são levadas bem a sério mesmo. 

1. Digitar no celular


Digitar no celular é uma coisa banal que fazemos em nosso dia a dia. Mas, dependendo do lugar onde estamos com o celular, uma simples distração pode ser fatal. Somente em 2015, aproximadamente 6 mil pessoas morreram enquanto teclavam em seus celulares. Esse número assustador é quase duas vezes maior que a estatística registrada em 2013. Os especialistas aconselham a não usar celular enquanto caminhamos e jamais tirá-lo do bolso enquanto estamos dirigindo. Uma simples consulta no aparelho pode custar muito caro depois. 

É claro que os dentes afiados de um tubarão assustam bastante (ainda mais depois que Steven Spielberg colocou o peixão como o vilão principal de seu filme), mas essas simples coisas que fazemos no nosso dia a dia matam bem mais pessoas ao redor do mundo. O que nos resta, então, é tomar cuidado - seja com o tubarão na praia ou em qualquer outro lugar, e aproveitar o tempo que nos é dado! 

Nenhum comentário:

Postar um comentário