segunda-feira, 23 de março de 2015

Lançamentos de março da Editora Intrínseca - O que ler?

Estamos em meados de março e a Editora Intrínseca não para de nos presentear com grandes novidades. Veja abaixo a lista de lançamentos do mês da editora. Grandes títulos dividem a estante com obras bastante aclamadas internacionalmente. Fica bastante difícil escolher qual lançamento levar para casa, não é? Na dúvida, leve todos! 

  • Pequenas grandes mentiras – Liane Moriarty
“Pequenas grandes mentiras” conta a história de três mulheres, cada uma delas diante de uma encruzilhada. Madeline é forte e decidida. No segundo casamento, está muito chateada porque a filha do primeiro relacionamento quer morar com o pai e a jovem madrasta. Não bastasse isso, Skye, a filha do ex-marido com a nova mulher, está matriculada no mesmo jardim de infância da caçula de Madeline.

Celeste, mãe dos gêmeos Max e Josh, é uma mulher invejável. É magra, rica e bonita, e seu casamento com Perry parece perfeito demais para ser verdade. Celeste e Madeleine ficam amigas de Jane, a jovem mãe solteira que se mudou para a cidade com o filho, Ziggy, fruto de uma noite malsucedida. Quando Ziggy é acusado de bullying, as opiniões dos pais se dividem. As tensões nos pequenos grupos de mães vão aumentando até o dia em que alguém cai da varanda da escola e morre. Pais e professores têm impressões frequentemente contraditórias e a verdade fica difícil de ser alcançada.

Em Pequenas grandes mentiras, Liane Moriarty, autora do best-seller O segredo do meu marido, coloca em cena ex-maridos e segundas esposas, mães e filhas, bullying e escândalos familiares para nos lembrar das perigosas meias verdades que contamos a nós mesmos para sobreviver.
  • Selva de gafanhotos – Andrew Smith
Na pequena cidade de Ealing, Iowa, Austin e seu melhor amigo, Robby, libertam acidentalmente um exército irrefreável. São louva-a-deus de um metro e oitenta de altura, completamente tarados e famintos. Essa é a verdade. Isso é história. É o fim do mundo e ninguém sabe o que fazer.

Com todos os elementos obrigatórios de um romance apocalíptico, Selva de Gafanhotos mistura insetos gigantes, um cientista louco, um fabuloso bunker subterrâneo, um mal resolvido triângulo amoroso-sexual e muita, muita confusão — e está longe de tratar apenas do fim do mundo.

Engraçado, intenso e complexo, Andrew Smith fala de um jeito inovador sobre adolescência, relacionamentos, amizade e, claro, sobre temas um tanto mais inusitados, como testículos dissolvidos e milho modificado geneticamente. Um romance surpreendente sobre a odisseia hormonal, amorosa e intelectual que é essa fase da vida.

  • Ordem – Hugh Howey
Ordem, segundo volume da trilogia Silo, apresenta um mundo pós-apocalíptico, com poucos seres humanos restantes sobrevivendo à atmosfera tóxica do planeta Terra em um silo subterrâneo. No primeiro livro da série, a heroína era Juliette, uma operária nascida nos subterrâneos do bunker.

Na continuação, a história volta ao período anterior e explica como o mundo de Juliette foi transformado. Novos personagens também são apresentados: um portador do século XXIII; um senador da Geórgia num futuro próximo; um garoto abandonado, cuja história termina quando a de Juliette começa, e Troy, que acorda em 2110 sem saber quem é.

Os personagens escapam da morte ao serem congelados em cápsulas criogênicas, sendo acordados de tempos em tempos para tomar remédios, realizar alguns trabalhos alienantes e depois dormir outra vez. O livro volta no tempo, ao ano de 2049, revelando as decisões tomadas por alguns poucos poderosos, responsáveis por bilhões de mortes que deixaram a humanidade em vias de extinção.

  • Circo invisível – Jennifer Egan
Primeiro romance da premiada autora Jennifer Egan, Circo invisível se passa em 1978, tomando as tensões e os dramas políticos dos anos 1960 como cenário da história de Phoebe O’Connor, uma adolescente de 18 anos obcecada pela memória da irmã, Faith, uma hippie bela e idealista que morreu em 1970, na Itália.

Com a intenção de descobrir a verdade sobre a vida e a morte de Faith, Phoebe sai de São Francisco e atravessa o Atlântico para refazer o caminho da irmã pela Europa. A busca gera revelações complexas e inquietantes sobre família, amor e uma geração inteira de jovens perdida.

Uma estreia literária surpreendente e elaborada, prenúncio da habilidade extraordinária de Egan em criar suspenses bem-amarrados, marcados por personagens profundos e nuances de emoção – talento que lhe rendeu em 2011 o Prêmio Pulitzer de Ficção pelo livro A visita cruel do tempo.

  • A arte de pedir – Amanda Palmer
Cantora e compositora, ícone indie, feminista, agitadora e mobilizadora de multidões on-line, Amanda Palmer é um retrato perfeito da boa conexão entre o artista e seu público. Após desligar-se de sua gravadora, Amanda recorreu ao então recém-lançado Kickstarter, site de financiamento coletivo, para conclamar os fãs a colaborar para a produção do próximo álbum de sua banda. O projeto arrecadou mais de 1 milhão de dólares, recorde que chamou atenção tanto da imprensa quanto da indústria fonográfica.
Desse episódio surgiu o convite para uma celebrada palestra nos TED Talks. O tema: saber pedir. Desdobramento inevitável do evento, A arte de pedir trata essencialmente de recorrer ao outro, sem temor, sem vergonha e sem reservas. O livro mostra que pedir é digno e necessário, e que é a conexão entre quem dá e quem recebe que enriquece a vida humana.
Leia um trecho aqui |

  • Um brinde a isso – Betty Halbreich com Rebecca Paley
Aos 86 anos, Betty Halbreich é uma figura única no mundo da moda. Há quase quatro décadas comanda o departamento de compras personalizadas – oupersonal shopping, como Betty prefere não chamar – da loja Bergdorf Goodman, ícone do consumo de luxo de Nova York. Conhecida por não ter medo de abrir o jogo com as clientes, Betty já vestiu uma primeira-dama dos Estados Unidos, personagens de séries como Sex and the City e Girls, além das próprias estilistas que abastecem suas araras.

Em Um brinde a isso, ela fala não só da tão atraente carreira, mas também do momento mais difícil em que precisou se encarar no espelho: separada e com dois filhos, entrou em depressão e tentou o suicídio. Combinando memórias, moda e celebridades fashion – sem citar nomes, claro – com capítulos intensos e tocantes sobre sua vida pessoal, Betty mostra que o verdadeiro estilo de uma mulher não está impresso nos cortes, tecidos e etiquetas que ela veste, mas na história que tem para contar.


  • A última dança de Chaplin – Fabio Stassi
Combinando elementos reais com ficção, A última dança de Chaplin conta os últimos anos de um dos maiores ícones do cinema americano.  Na noite de Natal de 1971, Charlie Chaplin recebe a visita da Morte. O famoso ator está com oitenta e dois anos, mas ainda não se sente preparado para ver as cortinas se fecharem uma última vez. Desesperado por acompanhar o crescimento do filho mais novo, o ator propõe à Morte um acordo: se conseguir fazê-la rir, ganhará mais um ano de vida.
Enquanto espera o encontro fatídico, Chaplin escreve uma carta para o filho, contando a ele seu passado: da infância pobre na Inglaterra, com o pai alcoólatra e a mãe louca, ao auge do sucesso nas telas de cinema dos Estados Unidos, passando pelo circo, pelo vaudeville e por empregos estranhos, como tipógrafo, boxeador e embalsamador.
Leia um trecho aqui |


  • A segunda pátria – Miguel Sanches Neto
No cenário alternativo criado por Miguel Sanches Neto, o país se alinha ao Eixo e, como parte do acordo, é estabelecido que os estados do sul, com grande presença de descendentes de alemães, podem pôr em prática os princípios do nazismo. Em Blumenau, à medida que a saudação Heil Hitler se torna corriqueira, o engenheiro Adolpho Ventura convive atônito com o progressivo cerceamento de sua liberdade. Seu crime é ser negro e pai de uma criança mestiça. Na mesma cidade, desenrola-se a trajetória de Hertha, jovem sedutora que encarna todos os predicados da superioridade ariana. A ela é confiada uma misteriosa missão. Com violência e sensualidade, o autor revela uma paixão proibida, enquanto subverte os fatos para criar um Brasil que não está nos livros de história, mas que nem por isso deixa de ser assustadoramente plausível.

  • Dentista Sinistra – David Walliams
Um livro assustadoramente assustador – de assustar para valer. Você vai conhecer Alfie, um menino que tem um coração enorme, e um medo de dentista maior ainda. Ele não sabe o que fazer quando o obrigam a se consultar com a nova dentista da cidade: uma mulher com olhos mais negros que carvão, sorriso mais branco que o branco e uma voz mais arrepiante que prova de matemática! Sem contar que, desde que ela chegou, coisas sinistras vêm acontecendo…

David Walliams apresenta a vilã mais terrível nesta história que vai fazer seus dentes rangerem de medo e seu maxilar doer de tanto rir!
Leia um trecho aqui |

  • Filhotes submarinos – Seth Casteel
Seth Casteel, o fotógrafo que levou o Instagram e o mundo à loucura com suas imagens divertidas e inusitadas de cães embaixo d’água tentando abocanhar bolinhas e outros brinquedos, volta às piscinas acompanhado agora dos filhotes mais elétricos, e engraçados que já se viu.

Em mais de 80 cliques inéditos, o premiado fotógrafo de cães e gatos e ativista em defesa dos direitos dos animais retrata os cachorrinhos na primeira fase da vida, quando ainda estão começando a descobrir o mundo. Cheios de energia e disposição, os filhotes se jogam na água sem medo, ansiosos para resgatar uma bola de tênis ou simplesmente fazer bagunça. Em cada imagem, vemos um espectro de reações ao mesmo tempo selvagens e adoráveis, insanas e engraçadas, mas todas, sem dúvida, apaixonantes.
Leia um trecho aqui |

Dentre todos esses lançamentos, os que mais me chamaram a atenção foram Circo invisível Pequenas grandes mentiras. Estou bastante empolgado para ler este segundo, na verdade. Já havia lido a sinopse logo quando a editora anunciou a publicação da obra, que já vem sendo bastante aclamada internacionalmente. 
E você, sentiu amor a primeira vista por quais lançamentos? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário